Oviedo é solto e fica no Brasil até março

O general da reserva Lino Oviedo já deixou a sede do 3º Batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal, onde esteve preso desde julho, enquanto esperava o julgamento do pedido de sua extradição, formulado pelo governo paraguaio. Oviedo foi solto graças à decisão unânime tomada ontem pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), de negar o pedido de extradição. O general é acusado pelo governo paraguaio de envolvimento no assassinato do ex-vice-presidente do seu país, Luiz Argaña, e de tramar um golpe de Estado. O general pretende permanecer no Brasil até março, quando planeja voltar para o Paraguai. Até lá, Oviedo deverá ficar hospedado em casa de seu primo Roque Oliveira, no Lago Sul, em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.