Raquel Cunha/TV Globo
Raquel Cunha/TV Globo

Outros nomes podem surgir, avalia idealizador do RenovaBR

Para o empresário Eduardo Mufarej, se o apresentador Luciano Huck não confirmar a sua candidatura à Presidência em 2018, espaço pode ser ocupado por outros personagens

José Fucs, O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2017 | 05h00

O empresário Eduardo Mufarej, idealizador do movimento RenovaBR, que apoia a formação de novas lideranças políticas, afirmou nesta sexta-feira, 24, que, se o apresentador Luciano Huck não confirmar a sua candidatura à Presidência em 2018, outros nomes poderão ocupar o mesmo espaço.

“Hoje, a sociedade está pedindo um candidato de fora da política, porque existe uma fadiga com a política tradicional e o Luciano é um personagem nacional, conhecido em todos os lugares, que tem uma empatia gigantesca com a população. Isso é que traz essa reação positiva em relação ao nome dele”, disse, em referência à pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, divulgada nesta quinta-feira, 23, na qual o apresentador da TV Globo aparece com 60% de aprovação, a maior do levantamento. “Mas, se não for o Luciano, há outras pessoas, como o João Dionísio Amoêdo, pré-candidato do Novo, que teve a coragem e a disposição de criar um partido com o objetivo de renovar a política no País.”

+++Candidaturas de ‘outsiders’ ficam sob suspense

+++Huck não se pronunciará formalmente sobre candidatura

Embora deseje ser candidato, Huck está reticente porque não deseja comprometer sua carreira na mídia caso não seja o vencedor no pleito. A TV Globo já teria definido que ele deve decidir se vai ou não concorrer até o fim de dezembro – e, em caso de resposta positiva, ele não poderia voltar a trabalhar na emissora.

+++Aprovação a Huck cresce 17 pontos, afirma Ipsos

“O Luciano é uma pessoa que sabe ouvir muito bem, aberta, moderna, com uma visão contemporânea do papel do Estado na sociedade, e acredito que ele ou outras pessoas que tenham uma visão análoga, dariam ao Brasil uma importante vantagem no novo ciclo que se inicia em 2018”, disse Mufarej.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.