André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Osmar Terra é internado com covid-19 em Porto Alegre

Parlamentar disse que está fazendo exames e fisioterapia com objetivo de 'acelerar volta ao trabalho'; boletim médico aponta que sua situação é 'estável'

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2020 | 10h28
Atualizado 24 de novembro de 2020 | 15h11

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) foi internado com covid-19 neste domingo, 22, no Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul (HSL-PUCRS), em Porto Alegre. Pelas redes sociais, o parlamentar disse que está “fazendo exames de avaliação e fisioterapia complementar no tratamento da Covid”. 

Segundo publicou Terra no Twitter, o objetivo da internação é “acelerar volta ao trabalho o mais breve possível”. Procurada, sua assessoria não informou previsão de alta e disse “aguardar o boletim de hoje”. Quando Terra foi internado, o hospital informou que “o paciente seguirá em observação durante os próximos dias”.

Segundo boletim divulgado na tarde desta segunda, o deputado "encontra-se estável e sentindo-se confortável, com bom padrão respiratório respondendo as medidas adotadas até o momento".

Osmar Terra, que já minimizou a covid-19 em diversas oportunidades, anunciou ter contraído a doença há nove dias. Na ocasião, o parlamentar escreveu no Twitter que estava “bem e sem sintomas”, e que havia iniciado “tratamento precoce com hidroxicloroquina e ivermectina”.  

Segundo informou sua assessoria, o deputado tomou ivermectina e hidroxicloroquina apenas pelo “período mínimo recomendado, que foi de cinco dias”. Não há, no entanto, pesquisas conclusivas que apontem para a eficácia desses medicamentos no tratamento da covid-19.  

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já destacou que não há eficácia comprovada da hidroxicloroquina contra a covid-19 e alertou para a gravidade de seus efeitos colaterais. 

A conclusão de um estudo feito pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) indica que, além de ineficaz no tratamento da covid-19, a hidroxicloroquina pode causar efeitos colaterais significativos no corpo humano, comparados a medicamentos usados na quimioterapia.

Quanto à ivermectina, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçou em julho que o medicamento não  é recomendado para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus. 

Ex-ministro da Cidadania, Terra foi um dos principais críticos do distanciamento social e defensor do isolamento vertical, no qual a quarentena é feita apenas por idosos e pessoas do grupo de risco. O discurso também foi adotado pelo presidente Jair Bolsonaro, que argumenta que “tão importante quanto preservar vidas, é preservar a economia”. No dia em que Terra anunciou ter sido infectado pela doença, por exemplo, o presidente se referiu à segunda onda doença como “conversinha”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.