Os diálogos

A seguir, trechos de grampos que apontam para a suposta operação entre o ex-deputado Prisco Viana (PSDB-BA) e a empreiteira.No dia 10 de abril do ano passado, às 11h25, Bruno Ferla e Pietro Bianchi discutem como será feita a suposta entrega. Bruno: É, não... porque... pra mim, o pessoal pra analisar os "documentos" vai chegar aqui às duas e meia, tá? Pietro: Tá ótimo! Tudo bem, depois você liberar, a gente entrega o dinheiro.No mesmo dia, às 14h53, Bianchi conversa com Kurt Pickel sobre o que seria a transação com o ex-deputado Prisco Viana (PSDB-BA).Kurt: E já estão... então você poderia dar uma olhada lá na garagem?Pietro: O Prisco Viana tava lá...Kurt: Como?!?Pietro: O Prisco Viana está lá esperando eles lá na portaria.Kurt: Sim, mas ele me disse, aparentemente, passaram na portaria e disseram pra eles ir pela garagem.Pietro: Sim! Isso...isso...isso...Kurt: Então, tem "uma" Vectra preta e "uma" Gol vermelha.Duas semanas depois, Pietro e Fernando Dias estariam falando sobre a suposta entrega. Pietro fala em "sexto sentido".Fernando: Não, não...eu não sei por que, mas eu não me senti confortável e eu mudei, viu? Eu passei pro Pickel fazer e a gente paga o Pickel, tá? (...) Não pergunta por quê, é sentimento.Pietro: É sexto sentido! Em maio, os dois voltam a citar "Prisco" em mais uma interceptação.Pietro: O Prisco tá dizendo que chegou lá, né? Três, né?Fernando: É, é.Pietro: Bom, eu tô fazendo, então, aquele quatro nove dois, zero zero um, tá?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.