Ornélas diz que processo contra Jader continua

O senador Waldeck Ornélas (PFL-BA) afirmou que a renúncia do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) ao cargo de presidente do Senado não será suficiente para livrá-lo do processo de cassação do mandato. Segundo Ornélas, aliado político do ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), as denúncias contra Barbalho continuam a aparecer todos os dias na imprensa, e o relatório do corregedor do Senado, senador Romeu Tuma (PFL-SP), é muito contundente. Magalhães é o principal inimigo político de Barbalho. Ornélas rejeitou a tese de Barbalho, segundo a qual se ele, Jader, admitisse culpa no desvio de recursos do Banpará, estaria mantendo o decoro parlamentar e se livrando do processo de cassação. Ornélas discorda da avaliação de Barbalho e afirma: "Se ele reconhecesse a culpa, estaria ferindo o decoro, e ao negar, também." Segundo o senador baiano, Barbalho renunciou à Presidência do Senado pela "absoluta falta de condições de presidi-lo, o que o senador Antonio Carlos Magalhães já havia advertido dez meses antes da eleição" para a o comando da Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.