Ornelas diz que PMDB é a "banda podre" do governo

O senador Waldeck Ornélas (PFL-BA) disse hoje em Salvador, logo após ser demitido do Ministério da Previdência Social que os ministros peemedebistas constituiriam a "banda podre" do governo. Sem citar diretamente seus ex-colegas de Ministério Ornélas disse que se fosse o presidente da República dispensaria os integrantes do governo que estão sob suspeita. Ornelas disse ainda que irá esperar a reunião do PFL, marcada para o próximo dia 8, para determinar sua postura ao reassumir o mandato de senador. "Acho que o rumo que o senador Antônio Carlos Magalhães vai tomar será seguido pelo PFL", disse sem querer especular a possibilidade dos pefelistas irem para a oposição. Quanto à proposta de cassação do mandato de ACM defendido pelo PT e PPS, Ornélas, classificou-a de "ridícula". Para ele "cassar quem está defendo a moralidade seria uma inversão de valores e o povo não vai admitir isso". O ex-ministro fez questão também de rebater um trecho da nota do presidente Fernando Henrique em que se faz referências a supostas acusações sobre o ministério da Previdência. "Quero repelir isso pois não existe qualquer acusação mesmo infundada contra mim ou ao ministro (das Minas e Energia) Rodolfo Tourinho". Na visão de Ornélas, a referência de FHC foi "descabida e desnecessária".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.