Orlando Silva pede à PGR para ser investigado

Antecipando-se às ações anunciadas pela oposição, o ministro do Esporte, Orlando Silva, protocolou hoje um ofício solicitando ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a apuração da denúncia veiculada pela revista Veja neste final de semana de que ele teria recebido dinheiro de propina na garagem do ministério.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

17 de outubro de 2011 | 15h40

"É mais uma iniciativa para que todos os fatos sejam esclarecidos e que fique claro que as supostas denúncias não passam de mentiras e calúnias, feitas por um cidadão que está sendo processado pela Justiça", diz o ministro em nota publicada no site da pasta.

Orlando Silva já tinha pedido ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que a Polícia Federal entrasse no caso, além de ter se oferecido para participar de audiência pública no Congresso, o que deve acontecer amanhã à tarde.

A oposição já tinha anunciado que também iria à Procuradoria hoje pedir investigação. Os líderes de DEM, PSDB e PPS também cobram a presença de Orlando no Congresso. Eles, porém, desejam abrir espaço para ouvir o policial militar João Dias Ferreira e o motorista Célio Soares Pereira, que fizeram as acusações em entrevista à revista Veja. João Dias comanda uma associação de Kung Fu e preside a Federação Brasiliense da modalidade. Ele chegou a ser preso no ano passado devido a irregularidades em convênios firmados com o ministério. Pereira trabalha em uma academia do policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.