Orlando liberou material esportivo para ONG de delator

O ministro do Esporte, Orlando Silva, enviou pessoalmente e assinou de próprio punho, no fim de 2006, dois ofícios endereçados ao policial militar João Dias Ferreira, delator do esquema de fraude na pasta, liberando material esportivo para a entidade dele que tocava o Programa Segundo Tempo no Distrito Federal. "É com grande satisfação que autorizo o encaminhamento à Vossa Senhoria de materiais esportivos confeccionados em penitenciárias brasileiras e em comunidades reconhecidamente carentes", disse o ministro no ofício 3099 de 30 de outubro de 2006. Hoje, o ministro classifica João Dias de "bandido" e "criminoso".

LEANDRO COLON E FELIPE RECONDO, Agência Estado

26 de outubro de 2011 | 17h03

Naquele dia, foram liberados 5 mil calções, 5 mil camisetas, 5 mil bonés, bolas e redes para a ONG do policial. No dia 13 de dezembro do mesmo ano, um outro ofício, de número 3373/2006, também assinado por Orlando Silva, reitera o anterior e acrescenta a liberação de mais 100 camisetas do Programa Segundo Tempo. Os dois ofícios mencionam o nome de João Dias e a Associação João Dias de Kung Fu-Desporto e Fitness, com sede no DF.

O ministro e sua equipe no ministério acusam João Dias de fraudar a execução e a prestação de contas do projeto. Na época dos ofícios, o policial militar tinha contrato para aplicar o Segundo Tempo no DF. O convênio mencionado nos documentos recebeu cerca de R$ 922 mil. A reportagem procurou a assessoria do ministério para explicar os motivos desses ofícios, mas não obteve retorno até a tarde de hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.