Órgãos e tecidos de feto sem cérebro poderão ser doados

Os pais e mães de crianças com anencefalia - que nascem sem cérebro - poderão doar os órgãos e tecidos do filho para serem aproveitados em transplantes. Uma decisão adotados nesta quarta-feira pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) passou a considerar como natimortos esses bebês que, em 100% dos casos, interrompem o batimento cardíaco e a respiração momentos depois de nascerem.A resolução, que deverá ser publicada no Diário Oficial na próxima segunda-feira, pode reforçar a posição da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), contrária à decisão preliminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, que permitiu ás mães interromper a gravidez ao constatar a anomalia no feto. A decisão ocorre três semanas depois de o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), do Ministério da Justiça, ter dado parecer favorável ao aborto, apoiando a tese do ministro Marco Aurélio. A tese do aborto também tem o apoio do Ministério da Saúde, das entidades feministas e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).Para que os órgãos do recém-nascido sejam aproveitados, é preciso assegurar a gestação completa, segundo o relator da resolução do CFM, o médico Marco Antônio Becker. "A criança é considerada um natimorto cerebral justamente por não ter cérebro, mas somente o tronco cerebral", disse. Com isso, tão logo a criança seja retirada do útero da mãe, os procedimentos para retirada dos órgãos podem ser iniciados, desde que seja autorizada pelos pais, formalmente, 15 dias antes do parto.Na avaliação de Becker, a decisão deverá estimular as mães a preservarem a gestação dos filhos mesmo quando identificarem a anencefalia. "Em vez de solicitar a antecipação do parto, a mãe poderá ter a segurança de gestar uma criança para salvar outras vidas e hoje isso não é possível porque os médicos não podiam fazer o transplante", disse. ANENCEFALIAO que é?A má formação do feto que se desenvolve sem os hemisférios cerebrais, ou parcela considerável do cérebro, durante a gestaçãoA causaÉ resultado de um defeito no tubo neural do feto, atribuído à carência do ácido fólico, uma vitamina do Complexo B, à diabetes ou à poluição. Mas ainda não há segurança sobre a causaComo evitarNos EUA, a recomendação para que todas as mulheres em idade fértil consumissem 400 mcg de ácido fólico por dia reduziu incidência de gestações com defeitos do tubo neural entre 20% e em 50% a incidência de anencefalia e espinha bífida. O defeito de formação do sistema nervoso fetal que ocorre entre o 23º e o 26º dia de gestação A criança sofre?A criança geralmente nasce cega, surda e sem consciência e não sobrevive mais que algumas horas. Neste caso, os outros órgãos muitas vezes estão completos e perfeitos e podem ser doadosDiagnósticoA imagem do achatamento da cabeça do feto é nítida já em estágios precoces da gestação. Existem vários testes para diagnosticar os defeitos do tubo neuralOcorrênciaDados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que o Brasil é o quarto colocado no ranking de nascimento de fetos com anencefalia. Para cada 10 mil crianças brasileiras nascidas vivas, 8,6 fetos são anencéfalos. Isso coloca o país atrás apenas do México, Chile e Paraguai. A média brasileira anual é de 615 mortes

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.