Organizadores de ato pró-Dilma prometem segurança a jornalistas

Grupo costuma fazer críticas à chamada 'grande mídia'; profissionais terão espaço reservado próximo ao palco em que o ex-presidente Lula vai discursar

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2016 | 11h06

Os organizadores do ato político contra o impeachment que será realizado nesta sexta-feira, 18, na Avenida Paulista, prometam montar um esquema especial de segurança para os jornalistas que irão cobrir o evento.

A chamada "grande mídia" é um dos principais alvos das críticas desse segmento.

Filiado a CUT, o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo informou que integrantes da entidade uniformizados acompanharão repórteres, fotógrafos e cinegrafistas.

Os profissionais terão um espaço reservado a poucos metros do palco principal, próximo ao Masp, onde discursará o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O sindicato da categoria também montará um plantão jurídico na sede da entidade, no centro. O presidente da CUT, Vagner Freitas, fez um apelo aos manifestantes pró-governo para que seja respeitado o trabalho da imprensa e garantiu que haverá segurança.

“Nós, como central sindical, respeitamos muito o valor do trabalho”, disse o dirigente. Nas últimas semanas, vários episódios de agressões a jornalistas foram registrado nos atos políticos organizados pela Frente Brasil Popular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.