Organização paga viagem de parlamentares

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual confirmou ontem que está pagando a viagem de oito deputados e senadores brasileiros a Genebra, com o objetivo de divulgar o sistema de patentes e marcas. Admitiu que o objetivo também é "explicar" a eles as vantagens de um acordo de marcas que há anos a entidade tenta convencer o Brasil a aderir. Cada parlamentar está recebendo US$ 1 mil, além de passagens aéreas.O Brasil até hoje não aderiu ao Protocolo de Madri, tratado para permitir que o registro de uma marca em um país seja válido em todos os outros. O governo deve mandar o documento ao Congresso até o fim do ano. Ao final do primeiro dia de palestras, ontem, os parlamentares opinavam que há "grande chance" de o Congresso aprovar o protocolo. "Existem várias vantagens e uma redução da burocracia", afirmou o deputado Bruno Rodrigues (PE), vice-líder do PSDB na Câmara.O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), destacou que o programa organizado para a comitiva era "pesado". As reuniões começaram ontem às 11 da manhã, seguidas por um almoço oferecido pela entidade. Os encontros continuaram até as 18 horas, quando houve um coquetel.O deputado Albano Franco (PSDB-SE) era um dos mais entusiasmados, citando números de registros de patentes e marcas, que havia aprendido. Cândido Vaccarezza, líder do PT na Câmara, indicou ser favorável ao acordo: "A princípio, sou a favor", disse ele, indicando que sua passagem não tinha sido paga pela entidade, mas apenas o hotel em Genebra. Vaccarezza acrescentou que, na questão das patentes, seguia "a posição da diplomacia brasileira". Questionado sobre qual era essa posição, ele sugeriu à reportagem do Estado que esclarecesse isso com os embaixadores do País.A posição adotada pela organização é de total proteção de marcas e patentes, sem espaço para questionamentos e quebra de patentes, como vem adotando o governo brasileiro."A visita é parte das atividades da entidade para sensibilizar as várias partes sobre a importância estratégica da propriedade intelectual e sua função na criação de riqueza e de desenvolvimento econômico", disse Samar Shamoon, assessora de imprensa da entidade.A programação dos deputados e senadores termina hoje, com reuniões e almoço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.