Orçamento terá reserva maior para mínimo, diz Paulinho

O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, afirmou hoje que o representante do governo na Comissão Mista do Orçamento (CMO), deputado Gilmar Machado (PT-MG), comprometeu-se em fazer uma reserva maior de recursos para elevar o salário mínimo e os benefícios previdenciários de quem ganha mais que o salário mínimo.

EDNA SIMÃO, Agência Estado

21 de dezembro de 2010 | 18h43

Segundo Paulinho, Machado deve reservar R$ 6,6 bilhões, sendo R$ 1 bilhão para o Bolsa Família. O valor seria suficiente para elevar o mínimo para R$ 560 no próximo ano e reajustar as aposentadorias dos que ganham acima do mínimo em 7,5%. O relatório final do Orçamento prevê um salário mínimo de R$ 540. Machado afirmou, no entanto, que haverá uma reserva, mas o dinheiro não será carimbado.

Com essa sinalização de Machado, Paulinho afirmou que o PDT não deve atrapalhar a votação do relatório do orçamento na CMO. Porém, no próximo ano vai continuar insistindo em um aumento do mínimo para R$ 580 e um reajuste de 10% para os aposentados. Segundo o presidente da Força Sindical, é preciso reservar o máximo de recursos no Orçamento para minimizar os confrontos no próximo ano. Machado trabalha para que o relatório seja aprovado hoje na comissão para que amanhã seja votado no Plenário pelos parlamentares da Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.