Orçamento sancionado por Dilma prevê alta de 4,5% do PIB

A presidente Dilma Rousseff sancionou sem vetos a Lei do Orçamento de 2013, que estima despesas totais da União em R$ 2,276 trilhões e investimentos na ordem de R$ 110,606 bilhões. Sancionada no limite do prazo legal, a Lei está publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira.

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

05 Abril 2013 | 07h36

O Orçamento foi elaborado com base numa expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4,5% em 2013. A peça orçamentária prevê superávit primário do setor público de R$ de 155,9 bilhões. Dessa meta, de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), será possível abater até 65,2 bilhões, por causa de investimentos prioritários, como obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e desonerações tributárias.

As despesas com pessoal e encargos sociais previstas no Orçamento de 2013 são no valor de R$ 225,983 bilhões. Para a rolagem da dívida pública, a lei estima gasto de R$ 610,065 bilhões. A votação do Orçamento deste ano foi concluída pelo Congresso em 12 de março, com quase três meses de atraso.

Mais conteúdo sobre:
Orçamento PIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.