Orçamento de 2008 traz aumento de 12% na carga tributária

Projeto de lei já conta com dinheiro proveniente da prorrogação da CPMF

Adriana Fernandes e Fabio Graner, da Agência Estado,

31 de agosto de 2007 | 12h56

O projeto de Lei Orçamentária para 2008, divulgado nesta sexta-feira, 31, prevê o aumento da carga tributária no País e já conta com o dinheiro proveniente da prorrogação da chamada Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).  Veja também:Orçamento 2008 prevê alta do salário mínimo para R$ 407,33 Plano Plurianual 2008-2011 terá área social como foco De acordo com relatório enviado ao Congresso, a receita total projetada para o ano que vem é de R$ 682,7 bilhões, o equivalente a 24,87% do Produto Interno Bruto (PIB). A receita prevista é 12,1% maior do que a esperada para 2007, que, em proporção do PIB deve ficar em 24,17%.  De acordo com o orçamento para o ano que vem, as receitas administradas pela Receita Federal somarão R$ 448,8 bilhões, o equivalente a 16,35% do PIB, com um crescimento de 10,8% em relação ao esperado para 2007. As transferências aos Estados e municípios estão previstas em R$ 117,1 bilhões (4,27% do PIB), um avanço de 17,4% ante 2007. Dessa forma, a receita líquida da União estimada para 2008 é de R$ 565,6 bilhões (20,61% do PIB), uma expansão de 11% frente 2007. CPMF O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, deixou claro nesta sexta que o governo conta com a prorrogação da CPMF. Segundo ele, somado à Desvinculação de Receitas da União (DRU), o imposto deve render arrecadação de R$ 88 bilhões em 2008. Após a divulgação do plano orçamentário, o ministro afirmou que se o Congresso Nacional não aprovar a prorrogação, serão os parlamentares que terão que cortar no orçamento as despesas que seriam bancadas com a arrecadação da contribuição em 2008. Isso porque, segundo o ministro, a proposta do governo de lei orçamentária já foi enviada. "Vamos jogar no campo deles (parlamentares)", disse Paulo Bernardo, numa sinalização clara que o Congresso terá que achar o caminho, caso não aprove a prorrogação da CPMF. A previsão de arrecadação em 2008, segundo ele, será de R$ 39 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.