Orçamento 2008 prevê R$ 3,5 bi a mais para Defesa

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, vai ganhar um reforço nos recursos previstos para 2008. A proposta de Orçamento do ano que vem, encaminhada hoje ao Congresso, prevê uma despesa de R$ 10 bilhões para o ministério, dos quais R$ 3,66 destinados a Aeronáutica. Em 2007, estão disponíveis R$ 6,5 bilhões. Boa parte das despesas para a Aeronáutica será usada em investimentos nos aeroportos: R$ 1,355 bilhão, além de R$ 583,3 milhões no controle do espaço aéreo. O Exército vai receber R$ 2,53 bilhões e a Marinha, R$ 2,13 bilhões."O reforço nos investimentos em aeroportos já havia sido colocado no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Estamos reforçando por conta da discussão com o ministro Jobim", disse o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, ao ser questionado se o reforço nos recursos para a Aeronáutica ocorreu por conta da crise área. Segundo Bernardo, o programa de investimento no setor não foi ainda totalmente fechado pelo ministro Nelson Jobim. A expectativa é que o programa esteja fechado em dezembro, disse Bernardo. "Mas já colocamos recursos a mais para atender essas políticas", ressaltou o ministro do Planejamento. A proposta de Orçamento também prevê R$ 1,229 bilhão de investimentos da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), com um crescimento de 74,1% em relação aos R$ 706 milhões para este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.