Opportunity cogita se desfazer do banco e ser apenas gestor

Operação Satiagraha, da PF, que prendeu o sócio-fundador Daniel Dantas, prejudicou a imagem do banco

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

12 de setembro de 2008 | 12h44

O grupo Opportunity admitiu nesta sexta-feira, 12, a possibilidade de se desfazer do banco e ficar apenas com as gestoras de recursos. Para a instituição, a ação da Polícia Federal na Operação Satiagraha prejudicou a imagem do banco, que tem como sócio-fundador Daniel Dantas, principal alvo da investigação que apura gestão fraudulenta, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.  Veja Também:Especial explica a Operação Satiagraha Multimídia: As prisões de Daniel Dantas   Justiça bloqueia R$ 545 milhões do OpportunityTarso defende bloqueio de dinheiro do OpportunityBanco Opportunity já perdeu R$ 3,2 bi em dois mesesOpportunity diz que recorrerá do bloqueio de R$ 545 milhões "Diante da agressão injustificada e monstruosa sofrida pelo Banco Opportunity S.A toda a estrutura está sendo repensada. Mas, no momento os planos não podem ser adiantados", informou o Opportunity, por meio de sua assessoria de imprensa.  Na prática, o fim do banco muda pouco o cotidiano do grupo. Hoje, a instituição funciona apenas para dar suporte administrativo às atividades das gestoras. Mas, como a administração dos fundos de investimento do Opportunity será transferida totalmente para o BNY Mellon Serviços Financeiros, não haverá mais necessidade desse trabalho ser feito.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Satiagraha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.