Oposições baianas marcam nova manifestação

Mesmo diante da promessa da Polícia Militar baiana de agir com energia para evitar tumultos, as oposições baianas marcaram uma nova manifestação para a próxima terça-feira à tarde, no centro da capital baiana. Na quinta-feira passada, a Tropa de Choque da PM reprimiu com violência uma passeata a estudantes que pediam a cassação do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e do senador José Roberto Arruda (sem partido-DF), envolvidos na violação do painel do Senado.O "mote" do novo protesto será o cancelamento da CPI da Corrupção, devido à suposta manobra do governo federal. Os manifestantes vão se reunir em frente ao Mosteiro de São Bento por volta das 15 horas e seguirão até o Pelourinho. Além de entidades sindicais e estudantis, a manifestação terá representantes do PC do B, PT, PSB, PV, PDT, PPS, PMDB e PSDB. A deputada estadual Lídice da Mata (PSB) garante que o ato será pacífico mas informa que os manifestantes voltarão a levantar a bandeira da cassação de ACM e do senador José Roberto Arruda. Os episódios da última manifestação no centro de Salvador ainda repercutem na Bahia. O advogado Carlos Marighela Filho, membro da Comissão de Direitos Humanos da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil, que acompanhou os distúrbios, em que várias pessoas ficaram feridas e seis estudantes foram presos, informou que na próxima reunião da comissão, quarta-feira, vai propor que a OAB requisite oficialmente a apuração das responsabilidades do caso pela Corregedoria da PM e Ministério Público. "Está evidenciado que as agressões foram gratuitas e as prisões ilegais, mesmo porque todos os manifestantes presos foram liberados pela 1ª Delegacia", disse. Os mesmos pedidos serão encaminhados pela Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa da Bahia.Além disso, o deputado federal Nélson Pelegrino (PT-BA) presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara informou que denunciará a repressão da PM baiana à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.