Oposição vê ofensiva para amordaçar Casa

Blog corporativo para rebater notícias contra o Senado é uma das medidas de novo secretário

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo,

15 de agosto de 2009 | 12h55

Depois da Petrobrás e do Palácio do Planalto, o Senado agora também vai lançar um blog corporativo para rebater as notícias publicadas contra a Casa. A medida é uma das primeiras providências adotadas pelo novo secretário de Comunicação, Fernando Cesar Mesquita, que assumiu o cargo esta semana com a incumbência de controlar o conteúdo divulgado pela televisão, pelo rádio e pela Agência Senado.

 

Para alguns senadores, a Casa está vivendo um clima de "despotismo" - eles citam como exemplos a restrição às visitas, sob pretexto de evitar a proliferação da gripe suína, e a ação da Polícia do Senado contra manifestantes.

 

Na avaliação de adversários do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o blog poderá se transformar em mais uma das medidas para amordaçar a Casa. É o caso, por exemplo, da proibição de visitas às dependências do Senado, da criação de um cordão de isolamento por onde Sarney passa e da prisão pela Polícia Legislativa de estudantes que foram protestar contra o parlamentar.

 

"Essas restrições são uma forma que Sarney encontrou de sobreviver às pressões para se afastar do cargo", resumiu na sexta-feira, 14, o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN).

 

O novo blog do Senado vai centralizar todas as informações institucionais sobre a Casa. "Vamos fazer um blog do Senado onde serão respondidas quaisquer notícias sobre a Casa. Vai ser um blog de informação", afirmou Mesquita.

 

Segundo ele, o blog deverá estar no ar daqui a 15 dias. A ideia é reunir as informações administrativas, gerenciais e financeiras da diretoria-geral e da primeira-secretaria da Casa. Há cerca de dois meses, no auge das denúncias contra a Petrobrás, a estatal criou um blog corporativo para responder a qualquer solicitação da imprensa antes que a reportagem fosse publicada.

 

'Total isenção'

 

Mesquita refuta que tenha assumido o posto com a missão de censurar notícias. "Não permitirei censura. Nosso critério é o da total isenção", afirmou. Ele garantiu que não existe nenhuma restrição ao trabalho dos jornalistas e ao conteúdo veiculado pelos meios de comunicação do Senado.

 

"Nossa prioridade na cobertura sempre foi primeiro o plenário e depois as comissões", disse, frisando que os jornalistas do Senado não costumam escrever sobre "conversas de corredor e de bastidor".

 

Na avaliação do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a iniciativa do blog é louvável, desde que sirva só para veicular ações do Senado. "Se a intenção do blog for divulgar o trabalho da Casa, ótimo. Mas, se for para escamotear, aí é inadmissível."

 

"Nada mais justo do que o Senado ter um blog com informações reais e não só com a versão da imprensa. É um local onde vai se ter informação vista pelo lado do Senado, não só pelo lado dos jornais", afirmou Wellington Salgado (PMDB-MG).

 

Para o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), as medidas adotadas nos últimos dias pelo presidente Sarney para tentar barrar as pressões por sua saída do cargo beiram o despotismo. "Se falou tanto no nepotismo, mas estamos caindo no despotismo", disse.

 

Cristovam ficou particularmente surpreso com a atitude da segurança do Senado, que na quinta-feira, 13, prendeu por mais de três horas nove estudantes que foram protestar contra Sarney no salão azul.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.