Oposição tem 48 horas para contestar Lula e Dilma na Justiça

PSDB e DEM acusam governo de usar encontro de prefeitos para promover a ministra como candidata em 2010

da Agência Estado

03 de março de 2009 | 15h33

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu prazo de 48 horas para DEM e PSDB rebaterem a defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra Dilma Rousseff no caso de suspeita de campanha eleitoral antecipada em um evento da Presidência no início de fevereiro. O prazo conta a partir da notificação dos advogados dos partidos. Segundo o TSE, a comunicação não havia acontecido até as 15h20 desta terça-feira (3).   Veja também: TSE notifica Lula e Dilma por propaganda antecipada  Prefeitos participam de fotomontagem com Lula e Dilma   DEM e PSDB acusam o governo de usar o Encontro Nacional com Novos Prefeitos, ocorrido em Brasília, para promover Dilma, virtual candidata do PT à presidência da República nas eleições de 2010. A oposição entrou com o processo na Justiça Eleitoral em 18 de fevereiro.   No último dia 27, a Advocacia Geral da União (AGU), que faz a defesa de Lula e Dilma, pediu a extinção da ação. A AGU classificou o encontro como "institucional e suprapartidário" e apontou o fato de o virtual candidato do PSDB à Presidência, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ter também promovido dois encontros com prefeitos paulistas.

Tudo o que sabemos sobre:
DEMPSDBLulaDilmaSerraeleições 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.