Oposição sobe o tom e relaciona Lula a mensalão

Declaração do presidente de que PT está eticamente acima de todos gera revolta

Denise Madueño, do Estadão,

02 de setembro de 2007 | 17h12

A defesa dos petistas réus no processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF) e a declaração de que o PT está acima de todos na autoridade moral, ética e política - feitas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no 3º Congresso do PT, realizado nesse final de semana, em São Paulo - provocaram a oposição. O tom da reação subiu no sábado, 1º, e Lula foi diretamente ligado à "quadrilha", como classificou o Ministério Público na denúncia para identificar os responsáveis do mensalão. No processo aberto pelo Supremo, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e ex-dirigentes petistas são acusados por formação de quadrilha e corrupção ativa. "Os cabeças da quadrilha despachavam no Palácio do Planalto, ao lado dele (Lula). Foi o presidente Lula que entregou a chave dos cofres púbicos aos ladrões", afirmou o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ). "O dinheiro desviado pela quadrilha do mensalão pagou campanhas eleitorais do PT, a começar pela que elegeu Lula em 2002. O dinheiro público 'comprou' votos dos mensaleiros para sustentar o governo Lula. E até dívidas pessoais do presidente podem ter sido pagas pelo esquema", continuou Maia. O presidente do DEM disse que Lula tenta enganar a população sobre o mensalão. "Quem mente o tempo todo não tem caráter", afirmou Maia. O líder do Psol na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), acusou o governo de ser cúmplice com o esquema de corrupção. "O governo está ficando cada vez mais conivente com a corrupção sistêmica", afirmou Alencar. "Jobim virou ministro da defesa de Renan", disse, referindo-se à reunião do ministro da Defesa, Nelson Jobim, na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no sábado passado, junto com o advogado do senador Eduardo Ferrão. Renan será julgado nesta semana no Conselho de Ética no primeiro dos três processos que pedem a cassação de seu mandato. Jobim disse que a visita foi de cortesia. Alencar considerou surpreendentes as declarações do presidente em defesa dos petistas acusados de envolvimento no mensalão. "Isso é péssimo. O pessoal vai se sentir autorizado a continuar com essas `informalidades de campanha' ou com os erros que todo mundo comete, como os petistas denominam o esquema do mensalão", disse o líder do Psol. Para o líder do Psol, o presidente Lula está "abusando do direito de ser contraditório e incoerente". No momento em que estourou o escândalo do mensalão, lembrou Alencar, o presidente Lula disse ter sido traído e, agora, frente a uma platéia de petistas, pede solidariedade aos que o teriam traído. "Visto por esse Congresso, para o PT parece que não aconteceu nada, a não ser uma grande injustiça com o partido", avaliou Alencar. O deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) citou frase de Rui Barbosa para dizer que o presidente Lula está desmoralizando as instituições brasileiras. "A autoridade é que está demolindo a autoridade. O governo é que se ocupa em solapar o governo e a ordem é que está trabalhando pela desordem. É impressionante como a avaliação de Rui Barbosa no começo do século passado se aplica à situação atual", afirmou o tucano.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaMensalãoOposiçãoPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.