Oposição só deve ter nome para CPI na próxima semana

Comentário é de que é nome de ACM Júnior tende a ter maior receptividade junto à base do que Álvaro Dias

LEONARDO GOY, Agencia Estado

21 de maio de 2009 | 17h43

O PSDB e o DEM ainda não conseguiram unificar o discurso em torno de um único candidato da oposição para disputar a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Após uma reunião entre o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e os líderes do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), e do DEM no Senado, José Agripino (RN), os dois partidos continuam sustentando cada qual uma candidatura: Antônio Carlos Magalhães Júnior (BA) pelo DEM, e Álvaro Dias (PR) pelo PSDB. "Teremos um só candidato. Mas ainda temos dias inteiros para discutir", disse Arthur Virgílio, ressaltando que o assunto deverá ser resolvido na próxima semana.

 

Veja também:

link O que será apurado pela CPI da Petrobras

link PSDB indica Álvaro Dias para presidir CPI

link Diretoria da estatal tem indicados do PT, PP e PMDB

O senador tucano disse que não há dificuldade alguma com o DEM. O que se comenta nos bastidores é que o nome de ACM Júnior tende a ter maior receptividade junto à base do governo do que o de Álvaro Dias. Agripino, ao sair da conversa reiterando a candidatura de ACM Júnior, reforçou que o entendimento para eleger o presidente da comissão não deve ser feito apenas entre os opositores, mas com a base do governo. "O entendimento é de ter um candidato que tenha viabilidade para ganhar", disse.

Tanto Agripino quanto Arthur Virgílio comentaram os protestos realizados no Rio de Janeiro contra a CPI da Petrobras. "Esses rapazes acham que não é grave o que se passa na Petrobras", comentou Virgílio. Agripino disse que os protestos, feitos antes do início das investigações, são uma tentativa de politizar o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.