Oposição reforça luta pela CPI da Corrupção

Os líderes dos partidos de oposição decidiram em reunião encerrada no início da tarde retomar a luta pela instalação da CPI da Corrupção, incorporando os partidos políticos ao movimento de entidades da sociedade civil que estará organizando manifestações em todo o País nas próximas semanas. Na terça-feira da semana que vem os presidentes e líderes dos partidos de oposição se reúnem com entidades da sociedade civil na sede do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. O objetivo dessa reunião é estabelecer um calendário de manifestações que irá culminar com uma grande manifestação em Brasília no dia 27 de junho. Também estará em discussão a palavra de ordem que norteará esse movimento. Alguns partidos de oposição querem manter o slogan "Xô Corrupção". Outros defendem uma mobilização mais ousada com "Fora FHC". Os líderes de oposição consideraram que apenas a mobilização popular poderia fazer com que se restabelecesse condições para a instalação de uma CPI Mista da Corrupção. Segundo o líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro, a oposição continua com a tentativa de instalar a CPI só no Senado. Mas a prioridade seria a instalação de uma CPI Mista. O caso das informações do BCCom relação às denúncias da revista ?Veja?, do último final de semana, sobre o vazamento de informações do Banco Central por ocasião da crise que culminou com a mudança do regime cambial, os líderes da oposição decidiram questionar o presidente da Câmara, Aécio Neves, sobre um projeto de resolução do deputado Aloizio Mercadante (PT-SP), que requer a instalação de uma CPI para investigar a mudança de posição nas operações do mercado futuro de câmbio de vários bancos às vésperas das mudanças do regime cambial (13 de janeiro de 99). Esse projeto de resolução está na Comissão de Constituição e Justiça desde março de 99 e até agora não houve deliberação. Os líderes da oposição querem trazer o projeto para ser votado em plenário, com a possibilidade de requerer urgência na instalação da CPI para que o requerimento não tenha que enfrentar a fila de outras 29 proposições de investigação. Os líderes da oposição decidiram não incluir esse item na lista de fatos a serem investigados que estão relacionados no requerimento de instalação da CPI da Corrupção. Os líderes avaliam que novas informações sobre o caso da operação de socorro aos bancos Marka e FonteCidam surgirão nas próximas semanas, reforçando a necessidade de uma CPI para investigar exclusivamente esse caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.