Oposição recusa reunião com Dilma

Presidentes do PSDB, DEM, PPS e PSOL disseram que não estarão presentes ao encontro

O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2013 | 16h42

Brasília - Lideranças de partidos da oposição, PSDB, DEM e PPS, recusaram o convite da presidente Dilma Rousseff para participar de uma reunião na tarde desta segunda-feira, 1º. O presidente do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), que inicialmente participaria do encontro, informou no início da tarde que também não vai.

"Foi feita uma consulta prévia à Executiva, que sinalizou que a plataforma do partido precisa ser, antes, apresentada à sociedade", justificou Ivan Valente, que não soube informar se o líder do partido no Senado, Randolfe Rodrigues (AP), comparecerá. A agenda oficial da Presidência da República, atualizada no início desta tarde, mantém o nome do senador agendado para as 15 horas.

Desde a semana passada, a presidente Dilma tinha avisado que queria promover um encontro com os partidos da oposição, a exemplo do que fez com os partidos da base aliada, na sexta-feira. A ideia inicial era reuni-los na própria sexta-feira, mas desde então a presidente Dilma já havia tomado conhecimento da resistência deles. Mas, o Planalto ainda achava que seria possível o encontro, apesar de o líder do PSDB, senador Aloysio Nunes (SP), ter dito que se fosse para ir lá para tomar cafezinho, não iria.

Nesta segunda, veio a recusa formal dos partidos para o encontro. O presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), em nota divulgada nesta tarde, afirmou não ter recebido convite para reunião.

Após os protestos ocorridos no País, Dilma deu início a uma série de reuniões com parlamentares e movimentos sociais. A presidente tem discutido propostas de melhorias no serviço público e a realização de um plebiscito para a reforma política. Na semana passada, PSDB, DEM e PPS, em nota, classificaram a proposta de "manobra diversionista".

Tudo o que sabemos sobre:
protestosoposiçãodilmareunião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.