Oposição quer CPI do Jorge e cassar mandato de ACM

Os partidos de oposição já começaram a recolher assinaturas para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de tráfico de influência do ex-secretário geral da Presidência da República Eduardo Jorge Caldas Pereira. A criação de uma CPI sobre o caso Eduardo Jorge ganhou fôlego depois das declarações do ex-presidente do Senado Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), publicadas na revista IstoÉ. Em conversa com três procuradores da República, ACM teria dito que a quebra do sigilo de 1994 e 1998 de Eduardo Jorge poderá atingir o presidente Fernando Henrique Cardoso. Além da CPI, os oposicionistas também vão entrar, na próxima quinta-feira, com uma representação na Mesa do Senado pedindo a cassação do mandato de ACM por falta de decoro parlamentar. Nas conversas com os procuradores, o ex-presidente do Senado também teria dito ter em seu poder uma lista de quem votou contra e a favor da cassação do mandato de Luiz Estevão. E ACM teria acusado a senadora Heloísa Helena de ter votado contra a cassação do ex-senador. ?ACM é um canalha?, reagiu Heloísa Helena, ao prometer entrar com uma queixa-crime contra o ex-presidente do Senado, na Justiça, pedindo indenização por danos morais. Os oposicionistas só apresentarão a representação na próxima semana porque vão tentar, daqui até quinta-feira, obter junto ao Ministério Público uma cópia das fitas com as conversas gravadas entre ACM e os procuradores. Na avaliação dos oposicionistas, a confissão de ACM aos procuradores da República de que violou o sistema de votação secreta do Senado é prova suficiente para pedir a abertura do processo de cassação de mandato do ex-presidente do Senado. ?Há elementos suficientes para pedir a cassação de ACM?, disse o líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), inimigo político de ACM na Bahia. Para a senadora Heloísa Helena, o ideal é que os oposicionista obtenham as assinaturas necessárias para a instalação da CPI. ?A CPI é nosso instrumento dos sonhos porque nos dá prerrogativas próprias do Judiciário para investigar?, argumentou a senadora. Segundo ela, a oposição já conseguiu 19 assinaturas no Senado para criação da Comissão. Na Câmara foram recolhidas 118 assinaturas. Para instalação de uma CPI mista são necessárias, no mínimo, 27 assinaturas de senadores e 171 de deputados. Os partidos de oposição também estão reivindicando que Fernando Henrique Cardoso acione ACM judicialmente sobre as declarações do ex-presidente do Senado tentando envolver o presidente da República em supostas irregularidades do ex-secretário-geral Eduardo Jorge. ?O Fernando Henrique não pode ser omisso neste momento, apesar de ter permitido criar o ovo da serpente que se chama ACM e que é uma das figuras mais perniciosas do País?, afirmou o senador Roberto Freire (PPS-PE), que esteve nesta sexta-feira com o presidente da República, no Palácio da Alvorada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.