Oposição quer apoio no Senado para votar no PFL

Os partidos de oposição estão dispostos a lançar candidato próprio para a presidência da Câmara, caso o PFL não apóie o candidato do bloco oposicionista, senador Jefferson Perez (PDT-AM), à sucessão do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). A estratégia da oposição foi definida em almoço hoje, que contou com a presença dos líderes do PT, Aloizio Mercadante (SP), do PDT, Miro Teixeira (RJ), do PSB, Alexandre Cardoso (RJ) e do PCdoB, Sérgio Miranda. Se o PFL apoiar Jefferson no Senado, a oposição, pelo menos o PT e PDT - que não têm acordo com o candidato Aécio Neves (PSDB-MG) - votaria na candidatura de Inocêncio Oliveira (PFL-PE) à presidência da Câmara. Essa posição chegou a ser comunicada informalmente por Miro Teixeira ao presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC) e ao próprio Inocêncio. Amanhã, tanto Inocêncio quanto Aécio reúnem-se com o PT, que tem 56 votos, e cuja bancada está dividida. A bancada paulista está forçando o apoio a Inocêncio, com receio de que a eleição de Aécio fortalecerá o PSDB rumo às eleições de 2002. O eventual lançamento de um candidato das oposições, a exemplo do que ocorreu no Senado, levaria a eleição da Câmara para o segundo turno, favorecendo Inocêncio, conforme avaliação do PFL.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.