Oposição quer ação contra Dilma por campanha em MG

PPS, PSDB e DEM acusam a pré-candidata do PT e o presidente Lula de estarem em campanha antecipada

Carol Pires, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2010 | 20h34

Os partidos de oposição ao governo Lula - PPS, PSDB e DEM - pretendem acionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na tarde desta quinta-feira, 21, por verem na recente viagem do presidente Lula e da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a inaugurações de obras e Jequitinhonha e Juiz de Fora (MG) pretexto para realizar campanha eleitoral antecipada. Somados, PPS, DEM e PSDB já acionaram o TSE sete vezes contra o presidente e a ministra por campanha eleitoral antecipada.

 

A ministra disse na terça-feira, 19, durante discurso, que a oposição pretendia acabar com o Bolsa Família e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) caso voltasse ao poder. O presidente Lula também deu o tom da estratégia eleitoral ao assumir que faria uma maratona de viagens para inaugurar obras do PAC até abril, prazo em que os candidatos às eleições de outubro devem deixar cargos que ocupem no governo. "Quem for candidato não pode nem subir no palanque comigo. Então, é importante que a gente inaugure o máximo de obras possível para que a gente possa mostrar quem foram as pessoas que ajudaram a fazer as coisas neste país", disse o presidente ontem, em Minas Gerais.

 

Segundo o presidente nacional do PSS, Roberto Freire, o presidente "debocha" das leis eleitorais ao fazer discursos neste tom ao inaugurar obras públicas. "Desde que Lula escolheu Dilma como candidata a sua sucessão, ela o acompanha em viagens no país e no exterior, já que não tem nenhuma experiência eleitoral e a esperança do PT é conseguir transferir votos que poderiam ser do presidente para ela", disse Freire, por meio da assessoria do PPS. "O deboche com que o presidente da República trata o regime de leis do país é algo inusitado, nunca visto na história do Brasil. Nunca tivemos uma falta de vergonha como essa", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesoposiçãoTSEDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.