Oposição protocola CPI dos cartões e insiste em dividir comando

A oposição protocolou no Senado nestaquinta-feira o requerimento para a criação da CPI mista com oobjetivo de investigar os gastos dos cartões corporativos dogoverno federal atingindo os governo Lula e Fernando HenriqueCardoso. O pedido recebeu 189 assinaturas de deputados (eramnecessárias 171) e de 35 senadores (27). Apesar da formalização, os oposicionistas continuamdefendendo que o controle da CPI seja dividido com o governo. Segundo o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), "aoposição se reserva o direito de pedir uma outra CPI caso ogoverno não ceda". "O DEM confia no bom senso do governo de repartir o comandode uma investigação que afinal de contas pode ou não atingir aadministração passada", disse o senador José Agripino Maia(RN), líder do DEM. O ex-presidente FHC enviou carta ao PSDB. "As poucasdespesas cuja publicidade podem afetar realmente a segurançadas pessoas são submetidas aos órgãos de controle contábil dogoverno e sob condição. Não há razão para que o Congresso deixede tomar conhecimento delas", disse FHC na carta. (Reportagem de Carmen Munari; Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.