Oposição pode adiar pedido de criação de CPI

O líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro (BA), disse esta manhã que a oposição poderá mudar a tática e adiar, mais uma vez, a entrega do requerimento de criação da CPI Mista da Corrupção. A estratégia será discutida ainda hoje, em reunião dos líderes oposicionistas nas duas casas do Congresso e também, no início da tarde, com os presidentes dos partidos de oposição e representantes de entidades da sociedade civil, que estarão no Congresso para participar de um ato de apoio à CPI.Segundo Pinheiro, os defensores do adiamento argumentam que a entrega oficial do requerimento deixaria o controle do processo da CPI nas mãos do presidente do Congresso, senador Jader Barbalho (PMDB-PA), por uma semana, tempo suficiente para que os líderes governistas pressionassem suas bancadas para retirarem as assinaturas do requerimento. Segundo Pinheiro, com o adiamento a oposição prolongaria "a agonia do governo", que ainda não sabe exatamente a quem deve pressionar.Por outro lado, observou o líder do PT, caso o governo consiga retirar as assinaturas, não haveria grande prejuízo à oposição, uma vez que o regimento comum das duas casas do Congresso, ao contrário dos regimentos da Câmara e do Senado, estabelece que, em caso de insuficiência de assinaturas, o requerimento deve ser devolvido ao proponente, e não arquivado. "O risco, nesse caso, é o efeito psicológico", ponderou Pinheiro, referindo-se ao fato de que a retirada das assinaturas poderia desestimular novas adesões de parlamentares da base governista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.