Oposição pede que PGR investigue Segundo Tempo

Líderes do DEM, ACM Neto (BA), e do PSDB, Duarte Nogueira (SP), protocolaram hoje representações pedindo investigações da Procuradoria-Geral da República sobre o programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. Reportagens do jornal O Estado de S. Paulo mostraram que o programa serve para gerar dividendos eleitorais e financeiros ao PCdoB em todo o País.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 20h43

ACM Neto pede em sua representação que se investigue a conduta do ministro Orlando Silva, da vereadora de Jaguariúna (SP) Karina Rodrigues (PCdoB) e do presidente da ONG Bola pra Frente. Reportagem do Estado mostrou que a entidade cobrava de prefeituras para intermediar a aplicação do programa. O líder do DEM pediu ainda ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investigue e faça auditoria em todas as ações do programa Segundo Tempo desde sua implementação, ainda no primeiro governo Lula.

O líder do PSDB, por sua vez, inclui o ex-ministro Agnelo Queiroz (PT-DF) em sua representação à PGR. Para Duarte Nogueira, o suposto esquema de desvio de recursos para ONGs tem semelhança com o maior escândalo do governo Lula. "Este parece ser um renascimento do conhecido esquema do mensalão".

Nogueira quer também que o TCU investigue o caso e apresentou requerimento ao Ministério do Esporte pedindo detalhes dos contratos. Outro requerimento questiona ainda se o Ministério da Justiça abriu investigação sobre o programa quando surgiram as primeiras denúncias, ainda sobre a gestão de Agnelo Queiroz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.