Oposição pede CPI com todas as denúncias de corrupção

A última versão do texto do requerimento de instalação de CPI, proposto pelos partidos de oposição, alcança praticamente todas as denúncias que vêm sendo feitas sobre irregularidades em órgãos do governo federal. A proposta faz referência às feitas pelo senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e pelo presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA). A proposta faz referência a sete linhas de investigação.1) Denúncia de tráfico de influência por parte do ex-secretário da Presidência, Eduardo Jorge Caldas Pereira, desde quando ele era chefe de gabinete do Ministério da Fazenda, em 1994, até suas atividades como empresário, depois de deixar o governo;2) Acusações sobre a participação do diretor da área internacional do Banco do Brasil, Ricardo Sérgio de Oliveira, no processo de privatização da Telebrás;3) Denúncia de irregularidades na liberação de verbas públicas de pagamento de precatórios no DNER, durante a gestão do deputado Genésio Bernardino (PMDB-MG);4) Acusações de concessão de benefícios a empresas de propaganda e publicidade, por parte do secretário de Comunicação da Presidência, Andrea Matarazzo;5) Denúncias de irregularidades envolvendo o Banco Central, que incluem o desvio de recursos do Banco do Estado do Pará (Banpará), em 1984, no governo de Jader Barbalho; remessa irregular de divisas para paraísos fiscais, em favor do ex-ministro Sérgio Motta e da construtora OAS; doações irregulares de recursos para campanhas eleitorais, pelo extinto Banco Econômico; e denúncias de contas-fantasmas na agência de Salvador do Citibank. 6) Investigação de fraudes na destinação de incentivos fiscais do Fundo de Investimentos da Amazônia (Finam).7) Irregularidades em instalações portuárias e aeroportuárias como, por exemplo, nas companhias de Docas da Bahia e do Estado de São Paulo, no Porto de Juazeiro e na ampliação do aeroporto Luiz Eduardo Magalhães, em Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.