Oposição não tem discurso, diz Lula

Para o presidente, oposicionistas fazem ?pirotecnia? com CPI

Tânia Monteiro, SÃO JOSÉ, O Estadao de S.Paulo

05 de junho de 2009 | 00h00

A oposição está "sem discurso" e faz "pirotecnia" com a CPI da Petrobrás. Já a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) "está em perfeita condição de saúde" e é a candidata oficial à sucessão. A síntese político-eleitoral foi feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista concedida anteontem à rede americana de TV a cabo CNN. Leia os principais trechos da entrevista do presidente à CNNA entrevista foi gravada em São José, capital da Costa Rica, e levada ao ar na noite de quarta-feira, após viagem de quatro dias à América Central. Lula não quis dizer o que pretende fazer quando deixar o governo: "O futuro a Deus pertence."Indagado se não achava possível que, dentro de uma empresa do tamanho da estatal do petróleo, com milhares de servidores e diretorias, pudesse haver problemas de corrupção, Lula respondeu: "É possível que haja, mas para investigar isso existem órgãos específicos, como o TCU e a CGU." A seguir, os principais trechos da entrevista:DILMA: "A Dilma é minha candidata. Está em perfeita condição de saúde, graças a Deus. Descobriram um câncer no início, já não tem problemas. Está fazendo tratamento preventivo e vai ser candidata. Está crescendo nas pesquisas da opinião pública e isso é muito importante."FUTURO POLÍTICO: "Eu quero terminar meu mandato, deixando o Brasil em situação confortável e quero trabalhar para que meu sucessor ou minha sucessora entre bem. Depois veremos o que vai acontecer. O que vem depois, só Deus pode saber. No momento, só quero trabalhar a cada dia, cumprir com minhas obrigações e, depois, o futuro a Deus pertence."CPI DA PETROBRÁS: "Quando a oposição não tem discurso, não consegue fazer debate econômico ou sobre infraestrutura, acaba fazendo isso. É possível (que algum empregado possa praticar ato de corrupção). Mas, para isso você tem órgãos de investigação, TCU, CGU, entidades que fiscalizam. No fundo, algumas pessoas estão agindo com pirotecnia. E querem brincar com a imagem de uma empresa como a Petrobrás, que tem interesses no mundo inteiro."TRABALHO ESCRAVO : "Esta é uma situação grave. Na próxima semana estou indo à OIT e vou levar um acordo importante que assinei entre os usineiros e os cortadores de cana. Não é um trabalho fácil. E o Brasil está mecanizando a plantação. Isso vai ser um problema porque teremos muito desemprego. (...) É um trabalho duro. Existem os trabalhadores de minas de carvão, trabalho muito mais duro, a 90 metros de profundidade, um inferno. Trabalhar na cana-de-açúcar, comparativamente, é um paraíso. Sei que é um trabalho penoso e que teremos de humanizar a safra."AMBIENTE: "Não é verdade que o Brasil é o oitavo País do mundo que mais contamina o meio ambiente, tanto como China e Índia. Não é verdade. A verdade é que todo mundo se sente no direito de falar sobre este tema. Se estas pessoas que estão falando sobre Amazônia não tivessem devastado seus países, estariam preocupados com a conservação de seus bosques e deixariam que o Brasil cuidasse da sua Amazônia. (...) Queremos conservar a Amazônia, a sua biodiversidade e o ecossistema e vamos fazê-lo."VENEZUELA NO MERCOSUL: "Não creio (que vá desrespeitar normas). O Mercosul tem regras. Sabe-se que para entrar tem de cumprir normas. Creio que logo o Congresso aprovará e ela entrará no bloco e cumprirá as regras, como Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai."CONSELHOS À REGIÃO: "Eu respeito o comportamento de cada país. A mim me elegeram para um mandato de quatro anos. Eu não tenho tempo de estar vendendo ideologia para o povo, tenho de mostrar serviço."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.