Dida Samapaio/Estadão
Dida Samapaio/Estadão

Oposição não se sente afetada por fala de Cid, diz líder do PSDB

Deputado Carlos Sampaio (SP) afirmou que ministro deixou claro que 'achacadores' estão na base aliada

Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2015 | 19h25

Brasília - O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), disse que as acusações do então ministro da Educação, Cid Gomes, nesta tarde não atingiram a oposição. "Ele deixou claro que se achacadores existem, eles existem no campo da base aliada", afirmou.

Para o tucano, Cid "prestou os esclarecimentos necessários" e enfatizou que a oposição cumpre seu papel, enquanto a base aliada exige cargos. Nesta tarde, Cid repetiu a declaração sobre os "400 achacadores" no Congresso e acusou o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de ser um deles.

Na avaliação de Sampaio, embora o governo tenha agido rápido para evitar que uma nova crise agravasse a relação com o Congresso, o Palácio do Planalto sofreu novo desgaste. "Não sei se o governo ganha com esse embate que ele (Cid) criou. O governo ganharia mais se não entrasse nesses embates desnecessários", comentou.

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) informou que a interpelação judicial contra Cid seguirá até pelo menos o dia 22 deste mês no Supremo Tribunal Federal (STF), prazo em que o ex-ministro deve se manifestar na Justiça. Com a saída do ministério, o processo deverá mudar de instância.

Tudo o que sabemos sobre:
Cid GomesCâmara dos DeputadosPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.