Oposição não participou do afastamento de Renan, diz Agripino

Segundo o líder do DEM, licença é resultado de entendimento entre governo e o presidente do Senado

Cida Fontes, da Agência Estado,

11 de outubro de 2007 | 19h55

O líder do DEM, senador José Agripino (RN), disse na noite desta quinta-feira, 11, que a licença do presidente do Senado pelo prazo de 45 dias é resultado de um entendimento entre governo e Renan Calheiros para facilitar a aprovação de projetos de interesse da situação, como a proposta que prorroga a CPMF até 2011. Ele ressaltou, porém, que não houve acordo com a oposição. "Não temos nenhum compromisso com esse desfecho e a decisão de Renan Não gera nenhum compromisso nosso com ele", afirmou. Ele acrescentou que o DEM votará nos processos contra Renan Calheiros de acordo com os resultados das investigações. "Não houve qualquer tipo de acordo para esta licença de 45 dias". Segundo o líder, a licença de Renan vai estabelecer um clima de paz no Senado e ajuda a destravar o processo legislativo. Ele lembrou que esta semana não houve no Senado seque a ordem do dia. Em relação à CPMF, disse que a emenda constitucional tramitará obedecendo os prazos regimentais. Esses prazos, salientou, não serão afetados com a decisão de Renan.

Tudo o que sabemos sobre:
Renanafastamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.