Oposição já tem nomes que acessarão contas de Lula no TCU

Comissão aguarda apenas os nomes dos parlamentares governistas para marcar a primeira visita ao órgão

Agência Senado

22 de abril de 2008 | 16h03

A presidente da CPI mista dos Cartões Corporativos, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), afirmou nesta terça-feira, 22, já ter enviado ao Tribunal de Contas da União (TCU) ofício com os nomes dos parlamentares oposicionistas que terão acesso às auditorias realizadas pelo tribunal sobre gastos, inclusive sigilosos, realizados com Cartões Corporativos do governo federal.  Veja também:Entenda a crise dos cartões corporativos  Comissão rejeita convocação de Dilma para explicar dossiêOposição fura o cerco e Dilma terá de explicar dossiê no SenadoDossiê FHC: o que dizem governo e oposiçãoPF pede a governo dados sobre segurança da Casa CivilPF abre inquérito para apurar vazamento de dados de FHCDossiê com dados do ex-presidente FHC   Segundo Marisa Serrano, a comissão aguarda apenas os nomes dos parlamentares governistas para marcar a primeira visita ao TCU. Os oposicionistas que irão ao TCU são os deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP), Augusto Carvalho (PPS-DF), Vic Pires (DEM-PA) e Índio da Costa (DEM-RJ). A comissão que analisará as auditorias feitas pelo TCU será formada por oito parlamentares, sendo quatro da oposição e quatro do governo. As visitas poderão ocorrer até 22 de maio e os parlamentares poderão ir ao tribunal em grupo ou individualmente para examinar os dados. De acordo com Marisa Serrano, se houver vazamento de informações, os parlamentares serão responsabilizados por seus atos de acordo com o Regimento Interno do Senado, podendo até serem levados ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Marisa Serrano informou não haver depoimentos marcados na CPI Mista para a próxima semana. Nesta semana, os parlamentares deverão focar o trabalho no exame de documentos recebidos pela comissão, disse a presidente.  "Eles precisam ter pelo menos esta semana para ter uma noção do universo dos documentos que chegaram", defendeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.