Oposição fecha o cerco e pressiona por CPI só no Senado

Líderes do PSDB e do DEM sobem ao plenário para exigir leitura de requerimento que cria CPI exclusiva

Cida Fontes, de O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2008 | 17h01

O líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), acaba de pedir ao presidente da Casa, Garibaldi Alves (PMDB-RN), que faça nesta quinta-feira, 3,  a leitura do requerimento pedindo a criação de uma CPI exclusiva do Senado para investigar o uso dos cartões corporativos, que tem as assinaturas de 31 senadores, quatro a mais do que o mínimo necessário.  Veja também:PSDB apresenta recurso para convocar Dilma ao SenadoGoverno usa 'rolo compressor' e oposição ameaça com nova CPICPI rejeita pedido para governo divulgar dados sigilososPSDB quer apurar vazamento de dossiê no governoGastos com cartões já somam R$ 9 milhões em 2008CPI pede lista dos titulares que sacaram dinheiro com cartãoCPI terá dados que complicam ministros de Lula e FHCDocumento do TCU não sustenta versão sobre 'banco de dados' CPI dos cartões: quem ganha e quem perde?   Entenda a crise dos cartões corporativos  Segundo Agripino, "a oposição fez o possível para investigar os gastos com cartão corporativo na CPI Mista, mas não conseguiu, por conta da ação do governo na Comissão". O líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), frisou que não se conseguiu convocar, na CPI Mista, "sequer os ecônomos do Palácio do Planalto" (funcionários encarregados de contratar e pagar serviços e bens). Depois de lido o requerimento, é fixado prazo para que os líderes dos partidos indiquem seus representantes na CPI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.