Oposição fará plantão para evitar nova manobra de Renan

PSDB e DEM dizem que seus representantes não faltarão à reunião da Mesa e, por isso, decisões sobre o caso não serão adiadas para agosto, por falta de quórum

Ana Paula Scinocca e Rosa Costa, do Estadão

13 de julho de 2007 | 19h58

Para evitar ser surpreendida por mais uma manobra do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que opera para travar a investigação que responde no Conselho de Ética, a oposição- PSDB e DEM- montou um esquema de plantão para a próxima terça-feira, 17, véspera do recesso parlamentar. Salvo alguma fatalidade, o pedido para aprofundar a perícia nos documentos será, mesmo, encaminhado à Polícia Federal, depois da reunião da Mesa Diretora do Senado. O principal motivo da expectativa é que a decisão agora não mais compete a Renan e, sim, ao primeiro-vice-presidente, senador Tião Viana (PT-AC), ou - na falta dele - a quem vier a comandar a reunião. "Como o pedido já foi despachado e a data marcada, não depende mais do senador Renan", alegou o senador Demóstenes Torres. "A Mesa não tem mais desculpas para não agir". "Estou confiante que tudo será resolvido, os membros da Mesa são favoráveis ao prosseguimento da perícia", assegura o senador Renato Casagrande, um dos relatores do processo contra Renan. Para evitar que Renan venha a ser bem sucedido na tentativa de adiar a entrega do pedido para agosto, se não houver quórum, dirigentes do DEM e do PSDB tomaram as devidas precauções. Eles dizem que seus representantes não faltarão à reunião. O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), afirma que o Planalto não vai interferir de nenhuma forma no que entende ser "problemas internos do Senado". O "Senado é autônomo, cabe apenas à sociedade supervisioná-lo", alega.Na última quinta-feira, Renan informou que convocou a reunião de seus integrantes para o dia 17, e não para esta quinta-feira, para que haja tempo hábil de se notificarem os advogados das duas partes envolvidas no processo contra ele - ou sejam, ele próprio, e o PSOL, partido autor da representação contra o senador por suposta quebra de decoro parlamentar.Em protesto, a oposição - senadores do DEM e do PSDB - abandonaram o plenário em protesto contra a decisão de Renan de adiar a análise.

Tudo o que sabemos sobre:
Renan CalheirosoposiçãocriseSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.