Renato Mendes|Sigma Press
Renato Mendes|Sigma Press

Oposição exalta investigação e diz que cerco está se fechando

'Os graves indícios de irregularidades e crimes cometidos à sombra do projeto de poder do PT finalmente estão vindo à luz', afirmou Aécio Neves, presidente do PSDB

Erich Decat e Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

04 de março de 2016 | 12h03

Brasília - Em meio aos desdobramentos da 24ª fase da Operação Lava Jato que levou à condução coercitiva de Lula, os líderes da oposição aproveitaram para ressaltar as investigações e dizer que o 'cerco' está fechando para o PT. O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta sexta-feira que os crimes cometidos à sombra do poder do PT "finalmente estão vindo à luz".

"O avanço da Operação Lava Jato é um passo definitivo para que os brasileiros possam ter acesso à verdade que há muito tempo vem sendo sonegada ao País. O dia de hoje exigirá de todos nós coragem e serenidade. Os graves indícios de irregularidades e crimes cometidos à sombra do projeto de poder do PT finalmente estão vindo à luz. Vamos continuar apoiando as investigações. O Brasil merece conhecer a verdade", postou Aécio Neves, em seu perfil oficial no Facebook.

A força-tarefa da Operação Lava Jato, que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo central da Operação Aletheia, 24ª fase, para depor coercitivamente na manhã desta sexta-feira, 4, diz ter "evidências" de que ele recebeu valores desviados da Petrobrás.

"Há evidências de que o ex-presidente Lula recebeu valores oriundos do esquema Petrobrás por meio da destinação e reforma de um apartamento tríplex e de um sítio em Atibaia, da entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e da armazenagem de bens por transportadora. Também são apurados pagamentos ao ex-presidente, feitos por empresas investigadas na Lava Jato, a título de supostas doações e palestras", informa a força-tarefa da Lava Jato.

"Tudo o que está acontecendo produz na sociedade um misto de tristeza e confiança no futuro. Tristeza nos que tiveram sua confiança traída, mas confiança renovada nas instituições que cumprem seu dever. Agora estamos chegando perto do fim", disse em nota o presidente do DEM e líder da oposição no Senado, José Agripino (RN).

O vice-líder do PSDB na Casa, Paulo Bauer (SC), afirmou que o cerco está se "fechando" e a "grande quadrilha" que se apresentava como defensora dos trabalhadores "está sendo desmantelada". "A ação da Polícia Federal hoje é uma demonstração que ninguém está acima da lei", disse o tucano.

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), considerou que a condução coercitiva de Lula, "apesar das estocadas antirrepublicanas" do ex-presidente, de Dilma e do PT, funcionam plenamente. "É a confirmação de que ninguém, absolutamente ninguém está acima da lei. É a hora, finalmente, de o Lula falar e do seu instituto calar", afirmou Caiado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.