Oposição evita comparar governos, dizem líderes do PT

Integrantes do governo e lideranças do PT ironizaram as declarações do governador paulista José Serra, pré-candidato do PSDB à Presidência, para quem "candidato a presidente não é chefe da oposição". "É uma confissão de fraqueza e mostra a saia justa em que a oposição se encontra em 2010", disse o secretário-geral do PT, o deputado José Eduardo Cardozo (SP)

ANA PAULA SCINOCCA E JOÃO DOMINGOS, Agencia Estado

15 de janeiro de 2010 | 19h41

Segundo ele, a declaração de Serra retrata a dificuldade do discurso da oposição para as eleições deste ano. "É uma oposição que não assume seu papel, que não quer comparação", anotou.

Líder petista na Câmara, o deputado Cândido Vaccarezza (SP), disse que a afirmação de Serra ao Estado desqualifica a oposição. "A oposição não tem nem rumo, como é que poderia ter chefe. Eu concordo com o Serra", afirmou. "Até o próprio governador reconhece que a oposição não tem líder", emendou.

No Planalto, a avaliação hoje foi a mesma: falta à oposição uma bandeira mínima para a campanha de Serra. De acordo com auxiliares do presidente Lula, e integrantes da campanha da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), quando Serra diz que não é o chefe da oposição, ele está deixando claro que terá trabalho para mostrar sua identidade na campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.