Oposição espera contar com "éticos" do PMDB

Os partidos de oposição têm esperanças de que, agora, após as novas denúncias publicadas na imprensa, no fim de semana, poderão vir a contar com o apoio dos chamados "éticos" do PMDB para viabilizar a criação da CPI da Corrupção.Contabilizam comovitória o fato de o senador Pedro Simon (PMDB-RS) se haver declarado a favor da CPI. Diante do que avaliam que foi uma defesa fraca e semexplicações do presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), em seu pronunciamento desta segunda-feira à tarde na tribuna do Senado, os oposicionistas confiam em que será possível levar adiante a idéia de investigar as denúncias de corrupção."Não será um processo simples, mas deve ser considerado que há um fato novo que pesa?, argumentou o líder do PPS no Senado, Paulo Hartung (ES)."A CPI é o único instrumento adequado para investigar e estabelecer a confiança, não é um assunto que deve ser delegado à Corregedoria?, afirmou a petista Heloísa Helena (AL).A idéia de instalar a CPI foi paralisada em meio à pressão dos governistas que conseguiram impedir o recolhimento deassinaturas tanto no Senado como na Câmara.No Senado, há 25 assinaturas, e são necessárias 27; na Câmara, faltam 26 nomes (há 145 assinaturas, enquanto o regimento determina 171)."O apelo do senador Pedro Simon para que se apurem as acusações foi claro: os envolvidos vão ter de se explicar, mesmo que tudo pareça muito difícil pois é o único caminho?, afirmou o líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.