Oposição e governistas criticam limites propostos para as CPIs

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) resumiu o que pensa da proposta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de limitar o trabalho das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), acabando de uma vez com o poder que elas têm de quebrar sigilos bancário, fiscal e telefônico. "Uma estupidez. É só isso que posso achar", disse. "Nunca vi coisa tão absurda", complementou ele.Na mesma linha, o líder do PFL na Câmara, Rodrigo Maia (RJ), afirmou: "O presidente Lula tem andado em muito má companhia. Ele tem tido recaídas baseadas no autoritarismo de pessoas com as quais convive, como Hugo Chávez (presidente da Venezuela) e Evo Morales (presidente da Bolívia)", considerou Rodrigo Maia.O líder do PFL continuou: "O autoritarismo do presidente está claro. Ele não quer que o Congresso decida o aumento dos aposentados. Diz que já negociou com os sindicatos e com as centrais sindicais. Não: ele tem de negociar é com a sociedade e não com determinados setores. Pode haver problemas aqui (Congresso), mas o Congresso é que representa a sociedade".Aliados também criticam limitesNem o líder do governo na Câmara, Beto Albuquerque (PSB-RS), concorda com a idéia de limitar o poder das CPIs. "Se é para evitar que quebrem o sigilo, é melhor acabar com as CPIs", disse ele. "A CPI é uma comissão de inquérito e os inquéritos não podem sofrer restrições", disse ainda o líder do governo.Henrique Fontana (RS), líder do PT na Câmara, também acha que não tem cabimento tirar das CPIs o poder de quebrar sigilos. "A CPI deve ter condições de trabalhar. E uma das formas de ela conseguir isso é com a quebra dos sigilos". Para ele, no entanto, deveria haver mecanismos que impedissem os parlamentares de vazar informações contra os que ainda não foram condenados.Como exemplo, ele citou o caso do juiz federal João Carlos da Rocha Mattos, que está preso. Ele foi condenado sob acusação de fazer parte de uma quadrilha que vendia sentenças judiciais. "Trouxeram ele (sic) aqui para manchar o nome de muita gente. Acho que isso tem que mudar", afirmou.Rocha Mattos depôs na CPI dos Bingos a respeito da morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel. Disse ter ouvido, na cadeia, revelações de que o crime fora político. Culpou o PT de Fontana pelo assassinato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.