Oposição e dissidentes definem ações contra Sarney

Parlamentares devem encaminhar representação ao MP, pedindo para que investigue denúncias contra senador

CHRISTIANE SAMARCO, Agencia Estado

08 de julho de 2009 | 14h46

Os partidos de oposição e os dissidentes da base aliada no Senado, que estão reunidos no gabinete do presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, para discutir a crise na Casa, definiram três providências. Para contrapor a interferência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) a oposição vai buscar apoio na sociedade. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse que o caminho para isso será uma representação ao Ministério Público, pedindo para que investigue as denúncias contra o presidente do Senado.

 

Veja também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

A representação deverá ter, além da assinatura de presidentes e líderes do DEM e do PSDB e de dissidentes como Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Renato Casagrande (PSB-ES), a participação de entidades da sociedade civil como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Associação Brasileira de Imprensa (ABI). O grupo também vai insistir na licença de Sarney da presidência do Senado, com o argumento de que só seu afastamento dará credibilidade às apurações de irregularidades na Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadocriseJosé SarneySérgio Guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.