Oposição diz que não retira requerimento para CPI

O líder do PT na Câmara, Valter Pinheiro (BA), afirmou por volta das 15 horas que os oposicionistas vão a plenário e não pretendem retirar o requerimento para a instalação da CPI Mista da Corrupção. Pinheiro fez a afirmação logo após uma reunião dos líderes da oposição em que se procurou definir uma estratégia em função da decisão do presidente do Congresso, senador Jader Barbalho (PMDB-PA), de marcar para hoje à tarde a sessão na qual deverá ser lido o requerimento de instalação da CPI da Corrupção. Pinheiro afirmou, depois da reunião, que os oposicionistas aguardarão o encaminhamento, que será dado pelo presidente do Senado, Jader Barbalho, mas já se manifestaram contrários ao arquivamento. Essa solução foi apresentada como possível por Jader, caso até à meia-noite de hoje não seja mantido o número mínimo de assinaturas necessário à abertura da CPI. Pinheiro entende que, em vez de se apoiar no regimento da Câmara, que prevê esta solução, Jader deveria obedecer o regimento do Senado, que determina a devolução do requerimento para que as assinaturas suficientes sejam obtidas. "A operação balcão de negócios pode ter funcionado. Vamos aguardar o encaminhamento e exigir a leitura nominal das assinaturas para avaliar a nossa estratégia", disse Pinheiro, referindo-se à pressão do governo anunciada ontem para retirada de assinaturas dos integrantes da base governista. A oposição acusa o governo de prometer liberação de recursos orçamentários para as bases eleitorais daqueles que retirarem suas assinaturas do requerimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.