Oposição diz que Marta desperdiçou dinheiro público

O vereador Gilberto Natalini (PSDB-SP) afirmou hoje que a decisão unilateral da Prefeitura de São Paulo de não pagar a parcela de R$ 3,049 bilhões da dívida do município com a União, que vence neste mês, "beira a irresponsabilidade e pode desestabilizar as costuras em torno da renegociação da dívida pública".Na opinião do vereador, que é um dos líderes da oposição na Câmara Municipal, a medida é conseqüência dos gastos elevados praticados pela prefeita Marta Suplicy: "Ela não deu o exemplo de austeridade em sua administração, está desperdiçando dinheiro público e, por isso, fica sem recursos para honrar os compromissos."Natalini disse que, mesmo que a decisão esteja respaldada e não represente um calote, "é um péssimo exemplo para um início de governo federal do PT". E continua: "Essa atitude é um mau exemplo de uma administração petista que não teve dedicação e cuidado em economizar dinheiro público."O vereador, que na Câmara Municipal é um dos críticos mais ferrenhos da administração de Marta Suplicy, conta que já encaminhou alguns pedidos de investigação ao Ministério Público, em razão de suspeitas de superfaturamento em alguns contratos da Prefeitura, principalmente os emergenciais. Ele cita, por exemplo, o gasto de mais de R$ 1 milhão na construção de um muro de arrimo de 70 metros e "a gordura" de R$ 33 milhões num contrato para compra de leite.O vereador tucano critica também os gastos da prefeita com publicidade e propaganda. "Marta Suplicy é a prefeita da propaganda", reitera. E cita que ela já ultrapassou os gastos de Celso Pitta e deverá, em breve, superar os gastos de Paulo Maluf nesta área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.