Oposição deixa de obstruir e Câmara aprova MP

Na sessão desta terça-feira, foi aprovada MP que abre créditos suplementares de R$ 1,2 bi para Executivo

Denise Madueño, da Agência Estado,

01 de abril de 2008 | 19h10

Depois de acordo entre os líderes do governo e da oposição, a Câmara retomou as votações nesta terça-feira, 1. O acordo prevê a votação de três medidas provisórias (MP) sem o uso pela oposição dos mecanismos de obstrução. Na sessão desta terça, foi aprovada a MP que abre créditos suplementares no valor de R$ 1,2 bilhão para órgãos do Executivo. Na quarta-feira, 2, o acordo prevê a votação de mais duas MPs, a que prorroga contratos temporários e outra de créditos suplementares de R$ 3 bilhões. Líderes de oposição afirmaram que o acordo foi um gesto de apoio ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), principal defensor de mudanças na tramitação de MPs. "O governo não vai poder nos acusar de fazer birra", disse o líder do DEM, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA). "Fizemos este gesto hoje com a expectativa firme de que até quinta-feira possamos fazer um entendimento maior", afirmou o líder do PSDB, José Aníbal (SP).   O tucano defende um acordo no qual o governo se comprometa a não editar um grande volume de MP para permitir que a Câmara fique com a pauta livre durante pelo menos cinco semanas, para votar outros projetos. Com o acerto, a votação foi rápida. Com obstrução, a Câmara levou duas semanas para votar três MPs.  

Tudo o que sabemos sobre:
MPobstruçãoExecutivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.