Oposição decide hoje se apresenta pedido da CPI

Os líderes dos partidos de oposição na Câmara e no Senado estão reunidos no gabinete da Liderança do PT na Câmara para decidir se protocolam hoje ou não o requerimento de instalação da CPI mista destinada a investigar denúncias de corrupção no governo. O requerimento já conta com a quantidade de assinaturas necessárias tanto na Câmara (171) quanto no Senado (27). Os líderes da oposição estão divididos. Uma ala quer protocolar o requerimento agora, mesmo sob o risco de que o governo consiga, pela pressão sobre os parlamentares, convencer alguns a retirarem do requerimento suas assinaturas. A outra ala quer aguardar a acareação, marcada para amanhã, entre os senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda e a ex-diretora do Prodasen Regina Célia Peres Borges. Ela confessa ter violado o sigilo do painel eletrônico de votações do plenário do Senado em junho de 2000 e afirma que fez isso por ordem de Arruda e de Magalhães, então presidente da Casa. A acareação, dependendo de seus resultados, poderia ou não aumentar o número de adesões ao requerimento de maneira a neutralizar a ação do governo pela retirada de assinaturas. O vice-líder do PDT na Câmara, deputado José Roberto Batocchio (SP), disse, ao chegar há pouco para a reunião, que é favorável a protocolar o requerimento já. "Vamos passar logo para a segunda batalha, que é a batalha da constitucionalidade", disse, sustentando que o requerimento, ao contrário do que dizem os governistas, é constitucional, pois o fato determinado a ser apurado pela CPI é a corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.