Oposição critica impunidade no caso Waldomiro e pede CPI

Para marcar os dois meses das denúncias envolvendo o ex-assessor do ministro da Casa Civil, José Dirceu, Waldomiro Diniz, a oposição voltou a pedir hoje a instalação de uma CPI no Senado. O líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), recitou uma paródia da canção "Parabéns a Você", desejando muitas infelicidades a Waldomiro. "São dois meses de impunidade. Waldomiro é a cara da desordem. Waldomiro é a cara da hipocrisia, da falsa moralidade. É a cara do Brasil que precisa ser mudada. Não é um canto de parabéns, mas de indignação pelos dois meses de impunidade", disse.O senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) informou que fará requerimento pedindo à Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro que encaminhe cópias de requerimentos que Waldomiro disse ter encaminhado ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, ao ministro da Controladoria Geral da União, Valdir Pires, e ao procurador Geral da República, Cláudio Fontelles. No depoimento de hoje, segundo Antero, Waldomiro disse que informou nesses requerimentos que estava sendo chantageado pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira.Waldomiro, ainda segundo o senador do PSDB, contou que em junho de 2003, teria encaminhado ofício às autoridades e que só depois resolveu tornar pública a chantagem. "Ele sabia da fita, sabia que estava sendo chantageado e pedia providências. Ou seja, o governo sabia das fitas desde junho e não pode se dizer surpreendido em fevereiro de 2004", afirmou Antero.O líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), garantiu que a CPI não será instalada e que o governo aguarda esclarecimento dos fatos e punição das pessoas envolvidas. "Politicamente, não vai haver CPI. A maioria dos senadores já decidiu isso", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.