Oposição consegue convocar Lina para depor no Senado

PSDB e DEM aproveitaram descuido do governo e aprovaram covocação de Lina por meio da CCJ

Christiane Samarco e Carol Pires, AE

12 de agosto de 2009 | 14h45

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira o convite para que a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira compareça ao plenário da comissão. A convocação de Lina se deu por meio de uma estratégia que PSDB e DEM arquitetaram, aproveitando  um descuido do governo. O depoimento de Lina está previsto para a próxima terça-feira, 18. Por ser um convite, a ex-secretária da Receita Federal não é obrigada a comparecer.

 

Veja também

 

link'É a minha palavra contra a palavra da ministra', diz Lina Vieira

linkSenadores do PSDB cobram convocação de Lina em CPI

linkJucá: depoimento de Lina não acrescentará nada à CPI

 

O PSDB e o DEM se articularam para pegar os governistas de surpresa. Diante do cochilo da base aliada, que em sua maioria estava ausente, o presidente da CCJ, Demóstenes Torres (DEM-GO), colocou em votação requerimento para ouvir a ex-secretária, que afirmou ter recebido um pedido da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para "agilizar" processo na Receita envolvendo a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A audiência da ex-secretária foi marcada para terça-feira.

O drible nos governistas foi uma forma de compensar a maioria folgada do governo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, onde a oposição não conseguiu aprovar a convocação de Lina. O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), única voz da base aliada, acabou protestando sozinho. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Lina Vieira declarou que no final do ano passado Dilma lhe pediu para "agilizar a fiscalização do filho do Sarney". A ex-secretária afirma ter entendido o pedido como um recado "para encerrar" as investigações envolvendo a família do presidente do Senado.

 

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) declarou por meio do twitter o êxito da manobra oposicionista. "A manobra planejada ontem deu certo. Aprovamos convite para que Lina Vieira fale na CCJ do Senado na proxima terça feira", disse o tucano pelo micro-blog. Logo em seguida, Álvaro Dias postou um comentário irônico: "A minoria finalmente pode exercer o seu complexo de maioria (rs)". 

 

Declarações de Lina

 

O motivo pelo qual a oposição está empenhando todas as suas forças em levar Lina Vieira para depor no Senado e especialmente na CPI da Petrobrás é as declarações que ela deu ao jornal Folha de S. Paulo. A ex-secretária da Receita Federal disse em entrevista ao jornal que se encontrou com Dilma Roussef e que a ministra da Casa Civil lhe pediu que "agilizasse" as investigações sobre as empresas comandadas por Fernando Sarney, filho de José Sarney, presidente do Senado. Lina afirma que entendeu o pedido como um requerimento para que parassem com as investigações em torno de Fernando Sarney. Dilma nega que tenha existido tanto o pedido quanto o encontro e o Presidente Lula disse que tal história é fantasiosa.

 

 

 

     

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.