Oposição ataca e Garibaldi defende presença de Lula na eleição

Lula participará de ato de campanha de Marta em SP; líder do DEM diz que presença 'nacionaliza pleito'

Reuters

26 de agosto de 2008 | 17h42

A oposição no Senado atacou nesta terça-feira, 26, a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha eleitoral por acreditar que ela signifique a nacionalização do pleito.  "O fato de o presidente da República se envolver diretamente numa campanha municipal é claro que é um condimento nacional numa campanha municipal. Não resta a menor dúvida", disse a jornalistas o líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN).  O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), discorda. "Isso não vai levar à nacionalização da campanha. A campanha é municipal e se o presidente tem influência em São Paulo nós vamos ver agora", afirmou.  Lula participa no sábado de ato de campanha da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy. Ele percorre ainda três cidades da região do ABC paulista no fim de semana.  Agripino acredita que a transferência de votos do presidente para os candidatos é relativa, uma vez que o eleitor em uma campanha municipal considera mais seu dia-a-dia.  "O governador e o presidente, distantes, não exercem papel fundamental na indicação de voto de um candidato a prefeito", afirmou.  Em São Paulo, Marta enfrenta o candidato do mesmo partido de Agripino, o prefeito Gilberto Kassab, além de Geraldo Alckmin (PSDB), entre os principais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.