Celso Junior/AE
Celso Junior/AE

Oposição anuncia novo pacote de ações contra Palocci

Após arquivamento de representação contra ministro partidos se reúnem para definir estratégia de ação política

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

07 de junho de 2011 | 14h31

O arquivamento das representações contra o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, não inibiu a disposição da oposição de cobrar esclarecimentos sobre o crescimento exponencial do patrimônio do ministro. Líderes de PSDB, DEM, PPS e PSOL se reuniram no início da tarde de hoje e anunciaram um novo pacote de ações contra Palocci.

Além de nova representação a Gurgel, a oposição vai procurar o Ministério Público do Distrito Federal, tentará convidar personagens do caso nas comissões temáticas da Câmara e insistirá nos requerimentos de convocação de Palocci no Congresso e de instalação de uma CPI para investigar o caso.

"A decisão do procurador só alimenta a crise. A presença do Palocci incomoda e paralisa o governo, contaminando a administração", disse o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR). As novas representações junto à PGR e ao MP/DF serão feitas com base na reportagem da revista Veja de que o ministro aluga um apartamento em São Paulo que está registrado em nome de um laranja. A Justiça Federal de São Paulo também será instada a apurar o mesmo caso. Em paralelo, a oposição na Câmara vai tentar chamar personagens do caso, como o dono do imóvel, para prestar depoimentos na Casa por meio de convites em comissões.

A oposição continua também a exigir a presença de Palocci no Congresso. Caso se confirme a anulação da convocação pela Comissão de Agricultura da Câmara, PSDB, DEM, PPS e PSOL vão recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) e prometem obstruir todas as votações na Casa. "Não vamos nos furtar a parar os trabalhos na Câmara se o presidente Marco Maia anular a convocação", avisa o líder do DEM, ACM Neto (BA).

O presidente do DEM, senador José Agripino (RN), disse que a decisão de Gurgel de arquivar o caso provoca "frustração" e abre portas para a "impunidade". Requerimentos pedindo a presença do procurador-geral da República no Congresso também serão apresentados nas comissões.

A oposição, no entanto, decidiu aguardar a posição de Gurgel sobre a nova representação, antes de entrar com uma ação diretamente contra ele junto ao Conselho Nacional do Ministério Público. "Essa representação poderá ser feita depois, se não houver evolução", disse o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
Palocciministropatrimônio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.