Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Oposição acusa Supremo de restringir trabalho do Senado

O caseiro Francenildo dos Santos Costa deixou a sessão da CPI dos Bingos sob aplausos de parlamentares da oposição e funcionários da casa. O presidente da CPI, senador Efraim Moraes (PFL-PB), antes de suspender os trabalhos, pediu que o caseiro fosse acompanhado por agentes da Polícia Federal, que dará proteção ao caseiro. A decisão do STF, que concedeu liminar suspendendo o depoimento do caseiro, provocou tumultos e críticas dos parlamentares de oposição. O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) quer que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reaja à decisão do STF. Ele lamentou o fato de a liminar ter sido solicitada pelo senador Tião Viana (PT-AC), que é membro da mesa diretora do Senado. "Vamos fazer valer a força do Congresso e pegar os ladrões deste País, que estão infiltrados neste governo", disse o senador, afirmando que o PT está fazendo pior do que foi feito no golpe de 64. "O Senado não vai se acovardar diante desta decisão do Supremo", afirmou ACM.

Agencia Estado,

16 de março de 2006 | 15h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.