Oposição acusa Supremo de restringir trabalho do Senado

O caseiro Francenildo dos Santos Costa deixou a sessão da CPI dos Bingos sob aplausos de parlamentares da oposição e funcionários da casa. O presidente da CPI, senador Efraim Moraes (PFL-PB), antes de suspender os trabalhos, pediu que o caseiro fosse acompanhado por agentes da Polícia Federal, que dará proteção ao caseiro. A decisão do STF, que concedeu liminar suspendendo o depoimento do caseiro, provocou tumultos e críticas dos parlamentares de oposição. O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) quer que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reaja à decisão do STF. Ele lamentou o fato de a liminar ter sido solicitada pelo senador Tião Viana (PT-AC), que é membro da mesa diretora do Senado. "Vamos fazer valer a força do Congresso e pegar os ladrões deste País, que estão infiltrados neste governo", disse o senador, afirmando que o PT está fazendo pior do que foi feito no golpe de 64. "O Senado não vai se acovardar diante desta decisão do Supremo", afirmou ACM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.